WhatsApp Beta: Texto das mensagens em negrito e itálico

Olá pessoal!

Para quem é fã do WhatsApp e ainda não sabe há algumas novidades!

Apesar do WhatsApp desejar tornar mais fácil se expressar com emoticons, imagens e outros tipos de modernos meios de comunicação social – há quem prefira a boa e básica forma de escrita e a utilização de recursos de formatação de texto.

Até o momento a versão oficial do aplicativo tem somente suporte a texto básico com zero opções de formatação. Mas na última versão Beta do WhatsApp, os usuários têm a opção de usar texto em negrito e itálico em suas mensagens.

Exemplo WhatsApp Beta

Não há botões para formatação de texto, mas é simples mudar a forma das palavras. Para isso, basta adicionar ‘asteriscos’ antes e depois de uma palavra ou frase para escrevê-la em negrito, já colocando um ‘underline’ no início e no fim da palavra ou frase a mesma fica em itálico. Contudo, estas são as únicas opções de formatação até o momento, mas o WhatsApp pode vir a acrescentar outras futuramente.

Para colocar uma palavras em negrito usamos um asterisco no inicio e final da palavra, exemplo: *Testando* (Testando)

Para deixar uma palavra em itálico precisamos colocar um underline no inicio e final da palavra, exemplo: _Testando_ (Testando)

Continuar lendo

Anúncios

Protega seu Android contra furto e desligamento indevido

cerberus

O Cerberus, um dos aplicativos antirroubo mais confiáveis para Android atualmente está na versão 3.21. Após a versão 3.0 o aplicativo sofreu várias atualizações e trouxe uma série de novidades, mas uma das mais interessantes é a possibilidade de impedir que o ladrão tenha acesso ao menu de desligamento do Android diretamente da tela de bloqueio.

Criminosos que roubam smartphones sabem que a possibilidade do proprietário estar usando um aplicativo que localize o aparelho é muito grande — na verdade, o próprio Google já oferece essa possibilidade nos Androids, por meio do Gerenciador de dispositivos Android. Portanto, a primeira coisa que os ladrões fazem, depois de te ameaçarem, é desligar o celular para não serem rastreados pelo GPS.

Entretanto, no Cerberus, basta acessar as configurações do aplicativo e marcar a nova opção “Bloquear o menu de reinicialização”. Com isso, o botão liga/desliga não funcionará quando o aparelho estiver na tela de bloqueio; será necessário desbloqueá-lo para depois desligá-lo. Obviamente, a novidade será efetiva apenas se você usar uma senha no seu smartphone e o aparelho não possuir uma bateria removível.

A ação de desligar o aparelho diretamente da tela de bloqueio não funciona mesmo mantendo o botão liga/desliga e diminuir/aumentar volume pressionado por mais de dez segundos — uma das combinações usadas para desligar de maneira forçada um aparelho que não possua bateria removível. Ou seja, a proteção do Cerberus parece bem eficiente. No entanto, proprietários de alguns modelos de smartphones relatam que o desligamento forçado continua funcionando.

Continuar lendo

iOS: História e evolução

O iPhone foi apresentado ao mundo por Steve Jobs em 09 de janeiro de 2007. Desde então, o dispositivo, além do iPad e iPod Touch, literalmente redefiniu todo o mundo da computação móvel.
Como tudo vem se movendo tão rápido, o iOS já está entre os sistemas operacionais móveis mais antigos em desenvolvimento ativo. Mas isso não necessariamente significa que ele seja mais fraco ou inferior aos outros – muito pelo contrário: através do que só pode ser descrito como a melhoria mais consistente ao longo dos anos, a Apple fez do iOS uma das plataformas mais ricas em recursos e suportes do mercado.

evolution-of-ios-homescreen

O iOS 7 (lançado em 18 de setembro de 2013), versão que atualmente alimenta os dispositivos móveis da Apple, oferece um sistema operacional móvel fácil de compreender para novos usuários, uma plataforma poderosa para desenvolvedores de aplicativos e uma experiência relativamente não-fragmentada em vários dispositivos.

Para entender um pouco melhor da trajetória do sistema operacional da Apple juntamos um pouco de toda a história do iOS para você entender exatamente como ele veio sendo desenvolvido ao longo dos anos. Confira:

iPhone OS (Sim, esse era seu nome)

Durante o anúncio do iPhone original, a Apple apontou que o dispositivo rodava no mesmo núcleo Unix do Mac OS X e que usava muitas das mesmas ferramentas. No entanto, ficou claro que, embora possa haver alguns elementos comuns entre os dois, esse novo sistema móvel era um animal exótico diferente o suficiente para ter seu próprio nome e marca.

iphone-2g-555

iOS foi comparado com Mac OS X pela própria Apple

Com isso, em seu lançamento, o sistema operacional foi chamado de “iPhone OS” e manteve esse nome por quatro anos, mudando para iOS apenas quando a versão 4 da plataforma foi apresentada, em junho de 2010. Por uma questão de simplicidade (e porque faz as frases ficarem muito menos estranhas), vamos nos referir a todas as versões do sistema operacional como “iOS” nesse artigo.

Continuar lendo

Métodos úteis no desenvolvimento Android – I

Olá pessoal,

Se você está desenvolvendo em Java, especialmente para Android, você já deve ter se deparado com alguma situação em que desejava alterar atributos (tipo cor, background, tamanho, typeface, etc) durante a execução de um aplicativo, por exemplo. Se você tem um Button ou TextView isso é simples, mas como implementar se tivermos vários widgets dentro do layout.

Com os métodos que compartilho aqui é possível alterar os atributos de vários Buttons, TextViews, usando um resource file (um layout xml).

Os exemplos aqui mostrados são implementados através do método ‘OnOptionsItemSelected‘ que retorna os eventos sobre o clique nos itens do menu, mas podem ser aplicados em outro método ou como uma classe a parte, por exemplo.

Hoje mostrarei como alterar o background de vários botões de uma só vez.

Passo 1: Criar um layout

O xml a seguir implementa três estados de um botão (normal, focused e pressed). A cor que usei foi o verde, mas pode ser alterada de acordo com sua preferência. O layout foi salvo em res/layout/button_green.xml

<?xml version="1.0" encoding="utf-8"?>
<selector xmlns:android="http://schemas.android.com/apk/res/android" >
 <item android:state_pressed="true" >
 <shape android:layout_margin="4dp" android:shape="rectangle" >
 <corners android:radius="6dip" />
 <stroke android:width="1dip" android:color="#151A15" />
 <gradient android:angle="-90" android:startColor="#345953" android:endColor="#689a92" /> 
 </shape>
 </item>
<item android:state_focused="true">
 <shape android:layout_margin="4dp" android:shape="rectangle" >
 <corners android:radius="6dip" />
 <stroke android:width="1dip" android:color="#151A15" />
 <solid android:color="#58857e"/> 
 </shape>
 </item> 
<item >
 <shape android:layout_margin="4dp" android:shape="rectangle" >
 <corners android:radius="6dip" />
 <stroke android:width="1dip" android:color="#151A15" />
 <gradient android:angle="-90" android:startColor="#8dbab3" android:endColor="#58857e" /> 
 </shape>
 </item>
</selector>
Passo 2: Criar o método ‘AlterAttr’

Dentro da classe principal, abaixo do OnCreate, definimos:

public static void AlterAttr(View view, int background) {
    if (view != null) {
        // checar se esta view é uma instância de um viewgroup
        if (view instanceof ViewGroup) {
            // passe por todos os filhos deste viewgroup
            for (int i = 0; i &lt; ((ViewGroup) view).getChildCount(); i++) {
                // continue alterando o atributo (recursão)
                AlterAttr(((ViewGroup) view).getChildAt(i),background);
            }
        }
        // checar se esta view é uma instância de um Button
        else if (view instanceof Button) {
            // altere o valor do background
            ((Button) view).setBackgroundResource(background);
        }
    }
}

Como o método busca e analisa os atributos do View (button) dentro do ViewGroup (layout), é necessário que esteja definido um id e o atributo android:background deve estar definido. No exemplo abaixo o fundo padrão dos botões é branco.

<?xml version="1.0" encoding="utf-8"?>
<LinearLayout xmlns:android="http://schemas.android.com/apk/res/android"
 android:id="@+id/MainLayout"
 android:orientation="vertical"
 android:layout_width="fill_parent"
 android:layout_height="fill_parent"
 android:layout_weight="1"
 android:textAlignment="center">
 <Button
 android:layout_width="wrap_content"
 android:text="@string/btn1"
 android:id="@+id/btn1"
 android:layout_height="wrap_content"
 android:layout_weight="1"
 android:gravity="center"
 android:visibility="visible"
 android:background="#ffffff"/>
 <Button
 android:layout_width="wrap_content"
 android:text="@string/btn2"
 android:id="@+id/btn2"
 android:layout_height="wrap_content"
 android:layout_weight="1"
 android:gravity="center"
 android:visibility="visible"
 android:background="#ffffff"/>
 <Button android:layout_width="wrap_content"
 android:text="@string/btn3"
 android:id="@+id/btn3"
 android:layout_height="wrap_content"
 android:layout_weight="1"
 android:gravity="center"
 android:background="#ffffff"/>
</LinearLayout>
Passo 3: Chamar o método dentro do ‘OnOptionsItemSelected’

O método a seguir mostra como alterar entre duas opções de cores.

@Override
public boolean onOptionsItemSelected(MenuItem item) {
// Handle action bar item clicks here. The action bar will
// automatically handle clicks on the Home/Up button, so long
// as you specify a parent activity in AndroidManifest.xml. 

int id = item.getItemId();
LinearLayout Layout = (LinearLayout) findViewById(R.id.MainLayout); 

 switch(id){
  case R.id.action_button_green:
    AlterAttr(Layout, R.layout.button_green);
    item.setChecked(true);
    break;
  case R.id.action_button_blue:
    AlterAttr(Layout, R.layout.button_blue);
    item.setChecked(true);
    break;
  default: super.onOptionsItemSelected(item);
 }
return true;
}

O método verifica qual opção do menu foi selecionada e aplica o ‘AlterAttr’, respectivo. Para elucidar os ids se referem aos itens do menu, como no xml abaixo:

<menu xmlns:android="http://schemas.android.com/apk/res/android"
 xmlns:app="http://schemas.android.com/apk/res-auto"
 xmlns:tools="http://schemas.android.com/tools"
 tools:context=".Teste">
 <!-- Menu cores -->
 <item android:id="@+id/action_button_cor"
 android:title="@string/button_color"
 app:showAsAction="never">
 <menu>
 <group android:checkableBehavior="single">
 <item android:id="@+id/action_button_blue"
 android:title="@string/button_blue"
 app:showAsAction="never"/>
 <item android:id="@+id/action_button_green"
 android:title="@string/button_green"
 app:showAsAction="never"/>
 </group>
 </menu>
 </item>
</menu>

Quem tiver dúvidas ou sugestões por favor deixe sua mensagem. O próximo post será como alterar atributos de cor de tipo de fonte de TextView e EditText. Até a próxima.

Baixe os aplicativos do novo Android 5.0 Lollipop

Olá a todos,

Hoje eu compartilho um post com os aplicativos do novo Android Lillipop. Se você ainda não recebeu a atualização em seu celular ou nem vai receber, esta é a chance de testar alguns dos aplicativos.

Confira quais aplicativos atualizados para a nova versão do Android que você já pode ter em seu aparelho

Baixe todos os aplicativos do novo Android 5.0 Lollipop para seu dispositivo

O Android Lollipop 5.0 já foi anunciado oficialmente e muitos usuários do sistema operacional da Google já querem sentir um pouco do gostinho da nova versão da plataforma, com certeza. Como nem todos tem um Nexus para isso, já foram disponibilizados alguns aplicativos para que isso fosse possível em qualquer dispositivo Android.

Os aplicativos foram retirados da versão preview do Android Lollipop 5.0, então é possível que algumas falhas possam acontecer, mas nada que não poderá ser resolvido com alguns truques e nada que vá impedir que tantas pessoas possam ter sua primeira experiência com aplicativos que incluem o toque do novo Material Design, um projeto que foi lançado para a última versão do Android.

Aqui está a lista dos aplicativos que já foram disponibilizados, e caso mais aplicativos sejam adicionados a ela, nós estaremos atualizando-a, então fiquem atentos. Para fazer download basta clicar nos links dos títulos.

Google Play Store

 A loja virtual do Google contou também com uma atualização para se adaptar ao novo projeto, e com essa nova versão é facilmente notável o quanto o visual da loja está mais limpo e colorido.

Google Search

O Google Search também se atualizou, e conta com o material design e um novo menu de configurações lateral. Mas para fazer uso desse novo recurso é preciso ter acesso root e um gerenciador de arquivos.

Google Now Launcher

Esse é outro aplicativo que foi atualizado para a nova versão do Android e suas mudanças estéticas provavelmente irão desagradar a alguns por causa do fundo branco, mas que é apenas questão de tempo para que todos se adaptem. Ele precisa de acesso root, como o Google Search.

Google Play Games

Para quem gosta do aplicativo, certamente irá gostar da atualização feita para adaptar o material design nele.

Teclado do Google

O teclado é sem dúvida um dos primeiros aplicativos que serão procurados na lista, já que é o aplicativo mais usado. A nova versão vem com um fundo mais claro, porém para quem prefere algo mais escuro terá a opção de configurá-lo também.

Câmera do Google

O aplicativo de câmera também incorpora o material design na sua nova versão, e uma das novidades é a possibilidade de ajustar o foco da imagem manualmente. Entretanto, esse apk também necessita de um acesso root para ser instalado.

Calculadora

É um aplicativo simples e comum, mas que também está disponível em uma nova versão para os interessado.

Calendário, Gmail, Mapas, Drive, Messenger

Esses aplicativos foram extraídos do Android 5.0 Lollipop de um Nexus 4. Alguns funcionam em todos os Androids, outros precisam de acesso root.

Papel de paredeSons e Animações

Esses aplicativos são mais para a parte estética do seu aparelho, e com os novos fundos de tela, sons e a animação inicial, com certeza ele servirá para uma nova experiência com o Android 5.0 e o que vem por aí.

Fonte: Mobilexpert

Iniciando desenvolvimento para Android

Olá pessoal,

Hoje compartilho um tutorial bem prático para quem deseja iniciar no desenvolvimento de aplicativos para Android. Todos sabemos que a cada ano cresce o número de usuários que se utilizam desse sistema, na verdade, estima-se que existem mais de 1,1 bilhão1 de aparelhos com o sistema da Google. Portanto, para aqueles que desejam adentrar nesse novo leque de oportunidades nunca é tarde para começar.

Bem, mãos à obra. Mas antes de iniciar é necessário satisfazer algumas dependências para começar a desenvolver seus aplicativos, na verdade, são necessários o Java SDK ou OpenJDK (usuários Linux) e o Android SDK, mais uma IDE (Ambiente de Desenvolvimento integrado) que pode ser o Eclipse, NetBeans, IntelliJ IDEA ou Android Studio ou outro de sua preferência. Particularmente, estou usando o IntelliJ IDEA, pois me pareceu mais robusto e leve que os outros, no entanto, o Eclipse e o NetBeans são mais conhecidos. No fim do post deixo os links para download.

Após instalar o Android SDK será necessário baixar vários pacotes (APIs, mas precisamente) necessárias para o desenvolvimento e compilação do aplicativo Android. Vale ressaltar que existem váriais API’s disponíveis desde o Android 1.5 [API 3] até o Android 5.0.1 [API 21] . O projeto do tutorial está sendo construído como base no Android 2.2 [API 8] (API mínima para execução), Android 4.1.2 [API 16] (API de compilação) e o Android 4.2.2 [API 17] (API alvo).

java_00

Após conhecermos um pouco das versões do Android e aprendermos a montar um ambiente de desenvolvimento, vamos colocar a mão na massa e criar um aplicativo Android! Ele é simples, mas é o primeiro passo para conhecer a linguagem, sua estrutura e o mecanismo de funcionamento de um aplicativo.

Continuar lendo

“Tela azul da morte” no iPhone 5S

Um erro tipicamente mais comum para usuários do Windows vem assombrando os consumidores do recém-lançado iPhone 5s: a tela azul da morte.

Nos últimos dias, diversos usuários do novo iPhone 5s relataram que um erro em seus smartphones deixa a tela azul, forçando o aparelho a reiniciar.

O erro aparentemente afeta apenas o modelo iPhone 5s e vem ocorrendo com mais frequência ao utilizar o aplicativo iWork, da própria Apple.

Realizar a função multitarefa entre aplicativos força o aparelho a reiniciar, conforme vídeos publicados na internet. Mas alguns usuários relatam que o erro também ocorre durante o uso comum do smartphone.

Recentemente a Apple liberou a versão iOS 7.0.2 para corrigir problemas de segurança na tela de bloqueio, mas nenhuma menção ao erro da tela azul foi feita.

Enquanto a empresa não corrige o erro, alguns usuários sugerem, para aqueles que notaram o problema ao utilizar o iWork, desabilitar a sincronização do iCloud para os apps Pages, Keynote e Number.

Fonte: Info e Olhar Digital (com modificações)

Em favor do Windows Phone

Nokia dominada: o que motivou a Microsoft a comprar a gigante dos celulares

Transação bilionária vai gerar um bom lucro para a empresa de Steve Ballmer.

Nokia dominada: o que motivou a Microsoft a comprar a gigante dos celularesAquisição da Nokia pode representar bons frutos para o futuro. (Fonte da imagem: Reprodução/G1)

No início desta semana, a Microsoft surpreendeu o mundo da tecnologia anunciando a aquisição da divisão de smartphones e celulares da Nokia, sua maior parceira nesse segmento até então. Na verdade, a possibilidade de a transação acontecer não era tão remota assim, mas o momento em que isso aconteceu realmente foi inesperado.

De qualquer forma, em dinheiro, o que isso significa para a Microsoft, que gastou US$ 7,2 bilhões na compra da empresa finlandesa? Na verdade, ao contrário do que muitos devem pensar, a Microsoft pode sair ganhando muito com o negócio.

Para começo de conversa, desde o início deste ano a Nokia começou a apresentar resultados positivos novamente, depois de um longo período de perdas. Somente no último trimestre fiscal de 2012, fechado em janeiro deste ano, a empresa registrou lucro de US$ 585 milhões, mas com uma receita de mais de US$ 10 bilhões.

Essa discrepância entre os valores de lucro e receita foram consequência das dívidas acumuladas nos períodos anteriores pela Nokia. Ou seja, o meio bilhão de dólares que sobrou como lucro foi um resquício de resultados de prejuízo que a fabricante amargava. Agora, entretanto, a empresa parece estar de volta aos trilhos, mas ainda assim não chega a ser nem de perto o que foi no passado, a líder absoluta de mercado.

Nokia dominada: o que motivou a Microsoft a comprar a gigante dos celularesLinha Lumia resultou na salvação e na venda da Nokia. (Fonte da imagem: reprodução/E&T)

Com receitas crescentes, a divisão comprada pela Microsoft deve integrar os resultados fiscais da criadora do Windows Phone no próximo ano e, em pouco tempo, o investimento bilionário para a compra deve ser compensado.

Todo o lucro é da Microsoft

Até agora, Steve Ballmer aceitava ganhar uma verdadeira miséria por cada celular com Windows Phone vendido pela Nokia. A finlandesa pagava menos de US$ 10 para a desenvolvedora do software por cada unidade dos Lumias que colocava no mercado, o que refletia o acordo para facilitar a vida da fabricante nos negócios.

Agora, como a Nokia pertence à Microsoft, a empresa deve “receber” US$ 40 por cada aparelho. Isso, claro, é um número imaginário, já que a Nokia não vai mais pagar de fato nada para a empresa que a possui, mas sim mandar cada centavo do seu lucro para os cofres da mesma.

Hardware, patentes e pessoas

Para ver o que a Microsoft tem nas mãos com a compra da Nokia, uma boa perspectiva a ser analisada é o capital físico, intelectual e pessoal que a empresa do Windows adquiriu. Até agora, a Microsoft tinha mais de 99 mil colaboradores ao redor do mundo. A esse time, serão incorporados 32 mil funcionários da Nokia. Outros 56 mil empregados da finlandesa vão continuar trabalhando de forma dedicada à fabricante de celulares.

Se falarmos em propriedade intelectual, é importante ressaltar que o catálogo da Nokia representou uma grande fatia do negócio. Dos US$ 7,2 bilhões do total da transação, US$ 2,2 foram das vendas das patentes para a Microsoft. Ao todo, entraram nessa conta mais de 38,5 mil patentes, sendo 30 mil já registradas e o restante em desenvolvimento ou aguardando registro.

Nokia dominada: o que motivou a Microsoft a comprar a gigante dos celularesMicrosoft precisa saber aproveitar o que a Nokia tem de bom. (Fonte da imagem: Reprodução/WMPoweruser)

Com tudo isso, você pode imaginar que a Microsoft não comprou a fabricante de celulares mais lucrativa do mundo. Ainda assim, se a empresa realmente pensou um dia em comprar uma empresa desse segmento, a Nokia sempre foi a melhor escolha.

Para começar, a Nokia foi a que mais se aproximou da sua compradora com o Windows Phone, foi a que mais recebeu investimento direto da Microsoft e ainda por cima tinha um CEO proveniente dos escritórios dela. Ou seja, parece até que a Nokia foi preparada ao longo do tempo para fazer parte da Microsoft hoje. Isso não passa de especulação, mas é inegável que poderia ser uma possibilidade. Se realmente foi esse o caso, a Microsoft conseguiu o que queria com relativa facilidade e pode ganhar muito com isso no futuro se a Nokia continuar melhorando seus lucros.

 Fonte: TecMundo

‘Helllo World’

A postagem original é um pouco antiga, mas achei a reportagem interessante, por isso estou compartilhando. Por favor olhem os comentários na fonte …

 Menino de 9 anos escreve programas para iPhone

Enquanto a maior parte das crianças de sua idade usa lápis de cor para desenhar, o menino de 9 anos Lim Ding Wen, de Cingapura, usa um estojo de cores bem diferente, seu iPhone. Lim, que está na quarta série, escreve aplicativos para o iPhone. O mais recente programa criado por ele chama-se Doodle Kids, que já foi baixado da loja iTunes mais de 4 mil vezes nas últimas duas semanas, publicou o New Paper, nesta quinta-feira. O programa permite que os usuários do iPhone desenhem com os dedos diretamente na tela do aparelho. Para limpar a imagem basta chacoalhar o celular. “Eu escrevi o programa para as minhas irmãs mais novas, que gostam de desenhar”, disse Lim. As irmãs do garoto têm 3 e 5 anos de idade. Lim, que se diz fluente em seis linguagens de programação, começou a usar computador aos 2 anos de idade. Desde então ele já completou cerca de 20 projetos de programação. O pai do menino, Lim Thye Chean, um vice-presidente de tecnologia de uma empresa local, também faz programas para o iPhone. “Todas as noites checamos as estatísticas enviadas para nós por email pelo iTunes para vermos quem tem mais downloads”, disse Lim pai. O garoto, que diz gostar de ler livros sobre programação, está produzindo outro software para o celular da Apple, um videogame de ficção científica chamado “Invader Wars”.

Fonte: under-linux.org.

Firefox OS – O telemóvel adaptável

O Firefox OS é baseado em HTML5 e possuí código aberto. A Mozilla espera que estes fatores, aliados com a proposta de ser atrativo ao consumidor sejam suficientes para atrair usuários de outros sistemas. A empresa não perdeu a oportunidade e lançou, ainda em 2012, um simulador do sistema*.
small_mozilla_os_in_firefox.jpg * O Firefox OS simulator é um addon (para firefox) que simula a operação do novo sistema da Mozilla diretamente no navegador. Para instalá-lo acesse o link https://addons.mozilla.org/pt-BR/firefox/addon/firefox-os-simulator/?src=search e siga as instruções.
 O grande diferencial do Firefox OS, segundo a Mozilla, é o Adaptive App Search (busca adaptável de aplicativos), que se adapta ao que o usuários está procurando para fornecer resultados melhores. Além disso, o smartphone terá recursos comuns nos telefones atuais, como um sistema de mensagens, players de música e navegação por mapas.

photogrid_1361737682972.jpg

Para tornar a disputa ainda mais acirrada, a Mozilla preparou ainda a loja de aplicativos Firefox Marketplace, similar aos concorrentes App Store e Google Play. Outras companhias também estão de olho no potencial do Firefox OS e no seu impacto no mercado. O Twitter, por exemplo, já anunciou um aplicativo oficial para o sistema.

Fonte: Techtudo (com alterações) → leia mais